quarta-feira, 10 de agosto de 2011

A CASA GRANDE DE CORES SUAVES


A CASA GRANDE DE CORES SUAVES




Lindos jardins, todos floridos,
engalanam as risonhas ruas,
para trazer um sorriso aos amigos,
e pernoitar no manto das luas.

Cantam os pássaros alegremente,
esvoaçam as andorinhas com graça,
e todo o mundo parece contente,
sentados nos bancos da praça.

Os sinos da igreja tocam a finados,
lembrando quem já partiu,
e todos ficam deveras confinados,
ao adro, pelo que se ouviu.

Crianças de enternecedor olhar,
fascinam-nos com sua macia infância,
e é vê-las juntas a brincar,
seguindo regras de militância.

A casa grande tem bambinelas,
de cores suaves e delicadas,
dão para o rio, como sentinelas,
de rendas ricas são elas bordadas.

Da minha janela vejo os namorados,
agarradinhos como mais ninguém,
e fico a vê-los enlaçados,
como quando se ama alguém.

Do meu amor tenho a recordação,
a alegria de tê-la comigo,
e bate descompassadamente meu coração,
no poder sonhá-la tê-la por abrigo.

E neste entardecer sublimado,
tudo está conforme e é ameno,
e eu vivo a natureza apaixonado,
de semblante tranquilo e sereno.



Jorge Humberto
16/06/11

5 comentários:

LISON COSTA disse...

Saudações!
AMIGA DEBORA:
Um Poema absolutamente mágico!
Contagiou. Mexeu. Valeu.
Parabéns por mais um lindo Post!
Abraços,
LISON.

Anônimo disse...

Lindo, Debora!

Deu serenidade só de ler

Um beijo!

Anônimo disse...

Muito lindo o poema.
Beijo.

Malu disse...

E neste entardecer sublimado,
tudo está conforme e é ameno,
e eu vivo a natureza apaixonado,
de semblante tranquilo e sereno.

Viver assim é uma dádiva plena e absoluta.
Não há mais o que se dizer...
Abraços

Marcelo disse...

Linda mensagem, Fica com Deus, abraço espero que sempre continue com essas qualidades que demonstra ter através dos comentários, nunca digo para continuar a mesma pessoas pois pessoas mudam, espero sempre que mantenha as mesma qualidades acrescentando outras a qual valorizará ainda mais a sua pessoas, abraço amiga virtual.